Excelência a serviço da vida
Ligue: (27) 2233-0190
13 nov 2015 | Por: Mayara Walger

O Dia Mundial do Diabetes, comemorado em 14 de novembro, foi instituído pela International Diabetes Federation – IDF em 1991 como um meio de aumentar a atenção e a prevenção para o Diabetes. A data é comemorada em 181 países. Esta campanha mundial é representada por um símbolo, um círculo azul. O círculo simboliza a união e sua cor azul é a mesma da bandeira das Nações Unidas, a única entidade que conseguiu sensibilizar os governos de vários países sobre a importância de reverter à epidemia global de Diabetes.

 

Esta data é uma oportunidade de chamar atenção do público e de autoridades de saúde para os problemas desta grave doença em crescimento em todo o mundo. A previsão de 440 milhões de pessoas com Diabetes para o ano de 2025 exige a necessidade urgente de melhorar a conscientização sobre o problema e isto é possível através da educação. A educação é essencial na prevenção das complicações do Diabetes e ponto central da Campanha do Dia Mundial do Diabetes.
Sem a educação em diabetes, os pacientes estão menos preparados para tomar decisões baseadas em informação, fazer mudanças de comportamento, lidar com os aspectos psicossociais e, por fim, não estar equipado o suficiente para fazer um bom tratamento. O mau controle resulta em prejuízo para a saúde e em uma grande probabilidade de desenvolver complicações.
O diabetes exige alguns cuidados que são para o resto da vida, tanto para o paciente, quanto para a família. Ambos precisam tomar uma série de decisões relacionadas ao tratamento como medir a glicemia diariamente, tomar medicamentos, exercitar-se regularmente e ajustar os hábitos alimentares. O suporte psicológico, muitas vezes se faz necessário. Como as consequências do tratamento são baseadas nas decisões tomadas, é de extrema importância que as pessoas com diabetes recebam educação de qualidade, ajustada às suas necessidades e limitações e fornecidas por profissionais de saúde qualificados. É uma doença que, quando mal controlada, pode obrigar os pacientes a enfrentar uma vida com complicações já que é uma das maiores causas de cegueira, doença renal, doença cardiovascular, infarto e amputações.

Compartilhe Este Post